Ministra do STF: uso de drogas ‘é questão de saúde, não de polícia’

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, afirmou que os problemas envolvendo o uso de drogas no Brasil devem ser vistos como “questão de saúde, não de polícia“.

Em participação no evento Cannabis Affair, a magistrada participou da mesa de abertura, que trata de questões sociais relacionadas à maconha

Cármen Lúcia falou sobre as consequências da atual política de drogas para o sistema prisional brasileiro:

“Quem porta droga e faz uso da droga não necessariamente comete um crime que pode ser equiparado a práticas que são realmente nocivas à sociedade e às pessoas, como o tráfico, a comercialização.”

A ministra completou:

“É preciso que o poder público brasileiro invista em políticas de saúde para aqueles que estão em uma situação de vício, e que seja pelo álcool ou por outro tipo de droga, que ele receba um tratamento. Porque essa é uma questão de saúde, não de polícia.”