Mídia estatal chinesa aponta para base americana de Fort Detrick

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A mídia estatal da China vem impulsionando uma campanha de desinformação para tentar tirar o foco dos investigadores internacionais do Instituto de Virologia de Wuhan, que é apontado como ponto de partida do novo coronavírus.

Ao longo da pandemia, os jornais Global Times, People’s Daily e China Daily, alinhados ao Partido Comunista Chinês (PCCh), publicaram mais de 100 artigos sobre o laboratório Fort Detrick, localizado perto da capital dos Estados Unidos.

A informação foi divulgada em uma análise publicada pelo jornal South China Morning Post.

O laboratório norte-americano desenvolve toxinas, vacinas, sistemas de defesa para pragas e doenças, além de onde, muito provavelmente, faz seus testes com armas biológicas, assim como os chineses o fazem no laboratório em Wuhan.

Nos últimos meses, os defensores do Partido Comunista Chinês (PCCh) conectaram centenas de vezes em postagens nas redes sociais e em conferências de imprensa que o Fort Detrick, a meio mundo de distância da China, precisa ser investigado como o ponto de partida da pandemia.

De acordo com o jornal SCMP, o professor Jean-Pierre Cabestan comentou sobre a campanha de desinformação chinesa:

“É um novo tipo de olho por olho. Talvez eles acreditem que isso irá satisfazer a opinião pública, porque não é algo que terá muito crédito fora da China, mas dentro da China, os nacionalistas ficarão felizes com isso.”

Enquanto os diplomatas chineses acusam um laboratório militar dos EUA pela crise sanitária que assolou o planeta, Pequim segue dificultando as investigações internacionais lideradas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).