Leilão do 5G no Brasil: o que vem por aí?

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Prevista para estar disponível nas 27 capitais do Brasil até julho de 2022, a internet 5G é apontada como uma revolução tecnológica abrangente. 

A implementação desta tecnologia em território brasileiro promete trazer diversas inovações que vão se refletir em maior produtividade, avanços na economia e na qualidade de serviços.

Enquanto isso, o leilão das radiofrequências que serão utilizadas pela nova geração de internet no Brasil está em reta final de avaliação pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O leilão é um passo importante que está sendo tomado em paralelo a uma série de medidas e adaptações que já vêm sendo articuladas tanto pelo Ministério das Comunicações quanto por operadoras que viabilizarão a novidade.

Discutido em diversas audiências públicas ao longo de 60 dias em 2020, o leilão é considerado não arrecadatório, isto é, todas as verbas levantadas serão investidas em infraestrutura de comunicação e aprimoramento da conectividade em áreas ainda carentes.

No leilão do 5G no Brasil, quatro faixas de frequência serão ofertadas. Destas, duas serão inicialmente híbridas e servirão para distribuir o sinal 4G e o 5G em variações do espectro. 

Confira abaixo:

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Apesar do ganho óbvio no quesito velocidade, a transição para o 5G não será percebida apenas pelas taxas de download ou upload de conteúdo.

O infográfico abaixo da Agência Brasil explica detalhadamente a diferença entre as gerações da internet móvel.

Foto: Reprodução/Agência Brasil