CoronaVac pode dificultar entrada de brasileiros na Europa

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A União Europeia aprovou na última semana um projeto que prevê a criação de um “Passaporte da Covid-19”.

Este passaporte é um certificado que possibilitará viagens dentro do bloco econômico para aqueles que tenham se vacinado contra o novo coronavírus ou testado negativo para a doença. 

Entretanto, o bloco só aceitará visitantes que receberam uma das quatro vacinas autorizadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA): 

  • Pfizer–BioNTech
  • AstraZeneca–Universidade de Oxford
  • Johnson & Johnson
  • Moderna

A CoronaVac, vacina desenvolvida pela Sinovac, da China, e aplicada em mais da metade dos vacinados no Brasil, ainda não entrou na lista dos imunizantes aprovados pela EMA.

A vacina chinesa também não foi certificada pela OMS, que deve emitir recomendações nos próximos dias.

Em um comunicado, a UE acrescentou:

“A Comissão propõe permitir a entrada na UE por motivos não essenciais, não apenas para todas as pessoas procedentes de países com uma boa situação epidemiológica, mas também para todas as pessoas que receberam a última dose recomendada de uma vacina autorizada pela UE.”